Dia agradável!!!

Hoje seria um dia diferente, já não me importaria com coisas  que não acrescenta, prometera que iria mudar, prometera que venceria os próprios desequilíbrios, e daria nova direção a sua vida. Passara toda noite pensando nisso, então agora aqui tomando o seu café, sentia-se  decidida. Passa na portaria dá bom dia ao porteiro que não responde, ele não deve ter escutado. Agradece ao motorista que não responde, deve estar preocupado. Agradece, boa tarde, por favor, boa noite, sem resposta, sem retorno.Ao chegar em casa está exausta, mais tranquila, sente que conseguiu passar um dia, de paz consigo mesma.

Autora: Beth Alves Plasencia

Quisera…

Sentimento que se perde no seguimento do tempo, sentimento que representa amor. Quisera sentir esse pulsar que inebriava meu ser. Quisera beijar de olhos fechados e viajar pelo mundo nesse momento. Quisera abrir os olhos e a primeira coisa que ver ser teu sorriso. Quisera me abrigar em seu peito e me sentir protegida de tanta insensatez. Quisera ficarmos calados lado a lado com o silêncio de nossa companhia. Quisera apreciar o momento de ócio ao seu lado. Quisera preencher minha carência contigo divagando sobre a vida.Quisera caminhar pelo campo com você. Quisera ter te conhecido. Quisera ter te achado. Quisera, mas não aconteceu!!!

Autora: Beth Alves Plasencia

Salão de festa

A taça estava cheia, a festa barulhenta me desviava a atenção, entre olhares e trajes percebia uma insatisfação. sorriso articulado, moldurava o rosto vazio. Andava pelo salão, vez ou outra parava em um grupo e seguia rumo ao jardim, precisava de ar, precisava sentir a brisa no meu rosto, e o vento da noite a balançar os meus cabelos. Sentei no balanço, e retornei no tempo, realmente eu adorava me balançar. Contemplei as estrelas e por um momento, me esqueci, me distanciei daquilo que não fazia parte de mim.

Autora Beth Alves Plasencia

Rio de janeiro.

   Acordei naquela manhã ensolarada completamente banhada em suor, tivera uma noite agitada com sonhos diversos. Levantei com o sol que invadia o quarto, em um salto já estava no banheiro, sentindo a água que descia pelo meu corpo, fiquei ali por alguns minutos aproveitando aquele momento mágico, é tão restaurador o banho a água que desce pelo nosso cabelo é divinamente maravilhosa. Peguei a toalha me enrolei e caminhei até a cozinha para ligar a cafeteira, voltei ao quarto coloquei uma roupa leve, já que o dia prometia ser de verão no Rio de Janeiro. Peguei o jornal e fui tomar o meu café, as vezes me arrependo de assinar esse jornal, não tenho tanta certeza se é saudável começar o dia com tanta informação negativa, na política, na educação, na saúde, na segurança, mas enfim estou novamente me fazendo essa pergunta. Acabo de tomar o café e já passa das 08:00 horas, tenho que ir.

Autora: Beth Alves Plasencia